Notícias e publicações

O Lixo em ação: a Bioenergia

Por Danielle Bohnen
A Biomassa trata-se de um material de origem orgânica, que pode ser vegetal, animal ou microorganismos. É uma fonte de energia, proveniente de produtos e sub-produtos de florestas, resíduos industriais e agrícolas, esgoto doméstico e instalações agropecuárias, biocombustíveis e lixo urbano.
A biomassa é um tipo de matéria utilizada na produção de energia a partir de processos como a combustão de material orgânico produzida e acumulada em um ecossistema, porém nem toda a produção primária passa a incrementar a biomassa vegetal do ecossistema. Parte dessa energia acumulada é empregada pelo ecossistema para sua própria manutenção. Suas vantagens são o baixo custo, é renovável, permite o reaproveitamento de resíduos e é menos poluente que outras formas de energias como aquela obtida a partir da utilização de combustíveis fósseis como petróleo e carvão mineral.
A energia da biomassa, a bioenergia, é renovável, já que é obtida através de processos biológicos. A Biomassa é considerada durável, pois, com o manejo adequado, o ciclo pode ser eficiente com o reflorestamento e replantio. É uma fonte de energia que já conhecida na China e na Índia no início do século, utilizando como matéria prima dejetos de origem humana, animal e vegetal.
A bioenergia tem um papel fundamental para a contribuição ao combate da mudança climática, pois reduz o CO2 na atmosfera e, por isso, diminui o efeito estufa. Além disso, o lixo, cada vez mais volumoso com a evolução do mundo e das tecnologias, pode tornar-se útil e ter um destino eficiente.
A bioenergia pode gerar combustíveis sólidos e líquidos, é também usada a mesma tecnologia utilizada em combustíveis fósseis. E também diminui consideravelmente a importação de energia.
Técnicas
Os resíduos orgânicos pode ser utilizados para a produção de gases para gerar energia. A transformação dá-se através da digestão anaeróbica, ou seja, processo de decomposição feito por microorganismos. Dessa forma, resulta um gás combustível com metano e dióxido de carbono, entre outros gases.
O biogás, resultante do processo de combustão de resíduos da agroindústria e urbanos, como lama, esgoto e lixo, pode ter seu potencial energético para a obtenção de energia térmica e elétrica.
O Bio-óleo é um líquido de coloração escura, obtido pelo processo de pirólise. É utilizado principalmente para a obtenção de aquecimento e energia elétrica.
O resto que sobra no digestor pode ser utilizado como fertilizante. A bioenergia pode ser transformada em eletricidade, combustível e calor.
As técnicas utilizadas para a obtenção da bioenergia são: combustão, gaseificação, pirólise e fermentação.
A combustão trata-se de um processo que libera calor com a queima da biomassa, gerando, assim, a eletricidade.
Já a gaseificação é a conversão de biomassa em gás como combustível. Os principais gases resultantes são o hidrogênio e o monóxido de carbono, que podem ser utilizados na geração de energia na indústria química.
A Pirólise nada mais é do que o aquecimento da biomassa em ausência do oxigênio, que tem o papel de oxidante. O resultado é um gás combustível, um produto líquido e uma substância carbonosa que pode ser convertida em carvão ativado. A pirólise é utilizada para produção de carvão vegetal.
Bio carvão
A Fermentação trata-se da desintegração da biomassa por uma bactéria anaeróbica a fim de resultar em um biogás de metano e dióxido de carbono. Esse biogás é convertido em geração de eletricidade.
Cana-de-açúcar
A Cana-de-açúcar também é matéria prima de biomassa. Muitas usinas de açúcar estão produzindo metano. Utiliza-se todas as partes que sobram, como o gás como combustível para motores das usinas e caminhões, já o bagaço com combustível para venda.
Problemas ambientais
O sistema das usinas de biomassa deve ser aplicado de forma ordenada e eficiente para que não haja impactos ambientais. As usinas que manipulam o carvão, devem tomar o cuidado para não desmatar florestas, pois pode acontecer a formação de desertos pelo corte incontrolado e não-planejado de árvores.
A erosão do solo pode ser consequência desastrosa na exploração da madeira. A própria queima da biomassa, pode poluir o ar com as emissões de gases tóxicos e produção excessiva de calor.
Uma saída, pode ser o reflorestamento, pois florestas plantadas fixam o CO2 durante o período de crescimento.
O Brasil é o país que mais emite gases oriundos do desmatamento, com 58% da extração de petróleo; 16% para a obtenção de lenha; 10% como carvão vegetal; 12% para carvão mineral e 4% de gás natural. Estima-se que seja necessário o reflorestamento de 20 milhões de hectares em 30 anos. As termoelétricas brasileiras Samuel, RO e Balbina, AM, são exemplos de aproveitamento de lenha com a tecnologia adequada para a produção de energia elétrica.
Há também possibilidades, na decomposição da biomassa, de riscos de explosões, contaminação por vazamento com o gás sulfídrico, resultante da igestão da matéria orgânica, contaminação da água, devido as descarte residual. Porém ainda assim, com a aplicacnao adequada, o lixo orgânico pode ser reciclado, tanto o doméstico quanto dejetos provenientes dos esgotos. Dessa forma, ajuda a combater a poluição com a grande quantidade de lixo provenientes das cidades, que são despejados em aterros.
Apesar de haver o reflorestamento de florestas para suprir a biomassa das usinas de carvão, a madeira nativa continuou sendo degragadada. Sua queima é uma das responsáveis pela desertificação de diversos rios, como, por exempo, o assoreamento do São Francisco.
A energia produzida a partir de práticas artesanais, realizadas ainda nos dias de hoje, é feita de forma pouco eficiente, pois a energia original é perdida para a atmosfera sob forma de gases e voláteis. A produção de car√ão vegetal, utilizado com tecnologias mais eficiente somadas com a biomassa produzida com essa finalidade, pode significar um aumento importante da eficiência energética e para criar as condições econômicas para substituir a produção de origem extrativa.
Riscos ocupacionais
Em relação à combustão de lenha, os risco estão ligados a acidentes possíveis no momento do corte da madeira, transporte e processamento. Além de o trabalhador ser obrigado a enfrentar todos os dias, um calor de 70o por doze horas diárias.
Além disso, o metanol, produto resultante, é extremamente tóxico e deve ser manipulado com cuidado.
Fontes:
     CEPA
      
     CPFL
      
     ARENA
 
     INEE
      
     Wikipedia
      
     FEM - Unicamp
Voltar a listagem