Notícias

Chegou o horário de verão, por que?
Todos os anos, entre os meses de outubro e fevereiro, alguns Estados brasileiros devem adiantar seus relógios em uma hora. O horário de verão é uma medida adotada pelo governo a fim de reduzir o consumo de energia elétrica, evitar colapso nas estações elétricas e aproveitar mais horas de claridade.
O horário de verão somente pode ser implantado sob decreto do Presidente da República, que toma decisão baseado nas informações geradas pelo Ministério de Minas e Energia. Este, por sua vez, baseia-se nos estudos realizados pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que também e responsável por indicar os Estados abrangidos e estabelece o período de duração da medida.
Benjamin Franklin, nos EUA, foi o primeiro em notar, já em 1784, que nos meses de verão, o sol nasce mais cedo. Sendo assim, ele concluiu que, se as pessoas adiantassem seus relógios em uma hora, as atividades do dia-a-dia terminariam antes do Sol se pôr, aproveitando mais a luz natural. Dessa forma, pouparia o consumo das velas usadas para iluminação artificial da época. Porém, suas observações não foram levada a cabo.
Anos mais tarde, na Inglaterra de 1907, o construtor William Willet, membro da Sociedade Astronômica Real, começou a campanha para o adiantamento de uma hora nos relógios do país durante o verão, pois, segundo ele, a medida reduziria desperdício de luz natural.  Mas foi somente em 1915, na Alemanha que tese de Willet foi posta em prática, após a sua morte.
No Brasil, foi no governo de Getúlio Vargas que o horário de verão foi utilizado pela primeira vez. Entre outubro de 1931 até março do ano seguinte, os relógios de todos os Estados do Brasil foram alterados. Mas, a medida não se repetiu por 18 anos até que, em 1985 os níveis de água dos reservatórios das hidrelétricas sofreram uma queda alarmante, então o presidente José Sarney decretou a implantação do horário de verão. A partir daí até 2010, a medida foi implantada todos os anos. Ao contrário de como aconteceu nas primeiras vezes, apenas os estados que compõe as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste adiantam seus relógios, já que os demais estados nãos recebem nenhum proveito com a medida.
Crepúsculo em São Paulo
O aproveitamento da medida ocorre no horário das 18h, quando a maioria das pessoas chega em casa e passam a utilizar a luz artificial e aparelhos eletrônicos, enquanto as indústrias ainda estão em funcionamento, ocasionando em sobrecarga no sistema elétrico. Com o horário de verão, as pessoa chegam às suas casas mais cedo e não coincide com as indústrias, além de a iluminação pública também ser acendida mais tarde.
Os meses de verão são escolhidos porque é quando os dias são mais longos, podendo-se aproveitar por mais tempo a luz natural do dia. Quanto mais longe da linha do equador, mais os dias são longos e as noites mais curtas, ou seja, no Brasil, os dias e as noites têm quase a mesma duração. Isso quer dizer que, em países como o Brasil o horário de verão não é muito eficiente já que a exposição à luz natural nos dias de verão aumenta apenas uma hora e meia.
Os países europeus se beneficiam muito com o horários de verão, pois a claridade vai até mais tarde. Além disso o crepúsculo é lento chegando a durar , enquanto no Brasil nos dias mais longos, o crepúsculo dura apenas 20 minutos, o que leva a questionar o sentido da implantação da medida. Isso acontece porque estamos muito perto da linha do Equador e do Trópico de Capricórnio.
Países que estão localizados em latitudes altas, como na Europa, os dias são longos naturalmente, porque o Sol nasce mais cedo e se põe mais tarde, além de ocorrer crepúsculos longos. Um exemplo é a França, que, no verão, o Sol aparece às 3 horas da manhã e se põe às 22 horas. Por isso, a adoção do horário de verão é muito mais aproveitada.
Crepúsculo na Europa. Foto-Peter Krämer
Os prós
O horário de verão gera economia que equivale a 2 mil megawatts, o equivalente a 3 turbinas da hidrelétrica Itaipu.
A medida também proporciona diminuição da carga no horário de pico, principalmente quando os níveis de reservatório de hidrelétricas estão baixos.
A população sente-se mais tranquila ao voltar para casa, pois a medida propicia maior segurança no fim da tarde com o dia ainda claro.
Foto- Antônio Cruz_ABr
Os Contras
O horário de verão trás consequências incômodas para o organismo, pois interfere diretamente no relógio biológico das pessoas. 
Com a mudança de horários o organismo deve sincronizar seus ritmos internos. Essa sincronização demora um tempo para se estabelecer e varia conforme a pessoa. Durante esse período, pode acontecer mal-estar, sonolência, entre outras alterações.
Devido a isso, o horário de verão é implantado nos domingos, para que as pessoas possam ter um “tempo livre” para adaptar-se ao novo ritmo.