Notícias

Mundo moderno: os elevadores elétricos
Os primeiros elevadores elétricos foram construídos no início do século XX para substituir os hidráulicos e por tração. Eles eram alimentados por corrente contínua e utilizavam motores de alta rotação, que giravam a roda de impulsão principal por meio de uma engrenagem. 
Hoje em dia, os motores que utilizam-se de engrenagens são capazes de fornecer uma potência para elevadores com velocidade de 122 a 152 metros por minuto. Para velocidades mais altas, os motores que não utilizam engrenagens são mais empregados, pois podem alcançar até 600 metros por minuto. Estes são utilizados, principalmente, em prédios com mais de 10 andares.
O sistema
O elevador elétrico é movido através de cabos, ou seja, o carro sobe e desce pela tração de cabos de aço, ao invés de empurrado de baixo para cima.
O que liga os cabos ao carro é uma roldana, que trata-se de uma polia de encaixe, quando a roldana é girada, os cabos também se movem. Por sua vez, a roldana é ligada a um motor elétrico, ou seja, quando o motor gira em determinada direção, a roldana faz levantar o elevador, já para o outro lado, faz o elevador descer. Nos motores com engrenagens, o motor liga um trem que gira a roldana. Geralmente, todo o sistema fica localizado sobre os cabos do elevador, dentro de uma casa de máquinas.
Os cabo são conectados a um contrapeso do outro lado da roldana, que pesa 40% da capacidade do carro, o que significa que, quando o carro está 40% cheio, eles está em equilíbrio com o contrapeso. Esse equilíbrio conserva energia< pois com cargas iguais de cada lado, gasta-se menos a roldana. Nesse caso, o motor tem apenas que superar a fricção, pois o peso do outro lado faz a maior parte do trabalho, ou seja, o equilíbrio mantém o nível de energia potencial próximo e constante no sistema.
O carro e o contrapeso se movem através de um trilho, que além de evitarem movimentação indesejada, são responsáveis pela segurança de parar o carro em emergência.
 
 
Sistema de segurança
Os elevadores modernos são dotados de um sistema de segurança muito eficiente, acidentes não são frequentes, pois têm vários mecanismos que asseguram seu bom funcionamento e defesa em caso de algo não correr bem.
O cabo do sistema é feito de vários comprimentos de alumínio entrelaçados, sendo assim, a estrutura é tão firme que é capaz de aguentar o peso do carro e o contrapeso. Além disso, os elevadores têm de 6 a 8 cabos, portanto, se algum chegar a romper-se, há outros capazes de segurar o carro no seu lugar correto.
 
 
Em um caso bastante raro, se todos os cabos se rompessem, ainda assim seria improvável que o carro sofresse uma queda até o poço, pois os elevadores elétricos são dotados de sistema de freios, que trata-se de um dispositivo de segurança que se agarram aos trilhos caso o carro dispare muito rápido.
Os elevadores são dotados também de freios eletroímãs, que mantêm posição aberta, assim, os freios são acionados automaticamente se o elevador perde força.
Já os freios automáticos, ficam próximos ao topo e ao fundo do cabo do elevador, assim, se o carro se move rápido demais em qualquer direção, o freio é acionado automaticamente.
Mesmo com todo esse sistema para evitar acidentes, o elevador cair, há um dispositivo que pode salvar a vida dos passageiros. No poço há um pistão, um cilindro com óleo a fim de absorver o impacto e suavizar a queda do elevador.
 
Controle
Em condições normais, os elevadores modernos são controlados por computador afim de processar as informações para conduzir o carro aonde ele precisa ir. Para isso, os botões do elevador são conectados no computador, que processa o pedido de onde tem que ir.
O computador processa onde o carro está através de sensor de luz ou ímã que detecta os encaixes na vertical, contando os buracos. O computador manipula a velocidade, reduzindo à medida que se aproxima do andar que deve parar.
Os elevadores de prédios com muitos andares, têm computadores capazes de melhorar a eficiência do trabalho. Muitos são programados para atender apenas as chamadas de subir primeiro e depois as de descer, para poupar tempo, já outros têm sistema especial para saber quais andares e horários são mais requisitados. Em casos de múltiplos carros, a memória faz detectar o carro mais próximo do andar e evitar que todos parem no mesmo andar ao mesmo tempo.
Outra memória comum nos dias atuais é a capacidade de o computador saber o volume de carga de cada carro, assim, evita de parar quando a capacidade está no limite.
 
Portas
As portas automáticas são importantes não só para auxiliar pessoas com deficiência, como também evita que as pessoas caiam no fosso do elevador.
Além disso, são dotadas de sensores que evitam que a porta se feche quando há pessoas ou objeto entre o elevador e o corredor de acesso.
Fontes:
Portal São Francisco
HSW